Criar um Site Grátis Fantástico
Enquete
QUAIS SÃO SUAS FANTASIAS ENTRE QUATRO PAREDES...
MULHER COM DOIS HOMEM
HOMEM COM DUAS MULHER
COM ADOLECENTES
FANTASIA MULHER MARAVILHA
FANTASIA UNIFORME MILITAR
FANTASIA DE EMFERMEIRA
FANTASIA DE PROFESSORA
OU TROCA DE CASAIS
Ver Resultados

  • Currently 2.85/5

Rating: 2.8/5 (118 votos)




ONLINE
1




Partilhe esta Página

 Ame Intensamente





Total de visitas: 354676
Contos Leia
Contos Leia

Perdendo a Virgindade - Tios, Amigos , Qual ?

Olá vou contar uma história que aconteceu com meu primo, ele se chama Thiago (fictício) . vou contar esse conto como se fosse ele.

Eu estava na casa de minha avó, pois lá eu tenho um quarto só pra mim, adoro privacidade sou branco bronzeado, tenho um jeitinho meio afeminado, sou loiro de cachos e olhos azuis, meu apelido e anjinho da turma da mônica, tenho uma bundinha empinada e rosa, sou passiva mas nunca fiz sexo, ninguém acredita em mim por um mal entendido que acontece aos meu 8 anos, que eu tinha fodido com um menino que era afim de mim na época, e meus amigays pelo puro recalque não acreditam, e por esse mal entendido fiquei falado na minha vila inteira de viado ... mas voltando o assunto eu tinha acabado de ir pra casa da minha avó e chegando lá minha avó fala pra mim - Thiago olha você viver dividir seu quarto com o seus tios hoje.

-mas que tios. - falei eu

-Pedro e o Paulo - responde minha avó saindo

eu vi o tio Pedro a última vez foi com os meus 8 anos e o Paulo era o caçula e mas safado de todos. Minha avó falou então que ela iria sair eu ia ficar sozinho até lá. Eu então esperei ela sair pra fechar toda as portas e janelas e pega o som e botar o cd da GaGa e dançar e cantar igual uma louca foi aqui que quando tava de cueca na sala suada e descabelada vejo que alguém pulou a parede da sala pois tinha um espaço grande no teto pois não era forrada a sala e com isso grito e aí o invasor me pega e tampa minha boca, quando aí escuto ele falando no meu ouvido - queta macho que aqui e o tarado que vai tirar teu cabaço .

aí eu gelei e escutei a voz e reconheci.

- Vítor é você.

ele então tira a mão da minha boca e olha pra mim e fala.

- sentiu falta de mim .

Vítor era o tal menino que fez a vila saber que eu era viado, aí olho para o Vítor e percebo que ele tinha mudado muito

estava mas bonito mas gostoso seus olhos nem sabia que era castanho claro pra mim era preto. eu não fiz sexo com ele.na época de que eu achava que eu era muito novo pra ele.

ele então senta no sofá ele estava sem camisa mostrando o seu peitoral e barriga de tanquinho todo suada e com uma bermuda surfista e de pal duro, ele olhava pra mim com aquela cara de safado e pegava no seu pau ja em pé. e eu de pé e de cueca olhava pra ele e p desejo já mi consumia então ele me punha até eu fica ajoelhado olhando pro seu pau fora. Era grande grosso veiudo e com cheio de sabão, já era sinal de que ele lavava né, então começo a chupa seu pau "eu nunca dei meu edy pra ninguém mas pagar aquele boquete, mano fazia louca, meu apelido aqui na vila é boca de veludo", enquanto chupa ele empurrava minha cabeça até o talo, mas era quase que impossível, eu me babava todo e chupava, só nisso já era 20 minutos de puro boquete...

aí ele falou - Thiago vira que eu vou ti comer.

- o que tá louco "eu nunca dei morrendo de doer e eu me cagar * famoso passar o cheque *"

então Vítor me pega pelo pescoço e.me puxa pro colo dele e fala enquanto seu pau encosta na minha bunda por cima da cueca e eu sinto aquilo e fico em puro êxtase. - Thiago vou meter tão gostoso que eu sinto você vamos adorar, confia em mim, meu amor - falava ele encostado sua barbixa quase crescida no meu pescoço tentado me beijar, seu hálito era um cidade louco e seu pau na minha bunda me deixava em êxtase puro, ele estava me convecendo e então da um beijo, enquanto tirava.minha cueca com seu pé e encostas seu pau nas minha nádegas, o quente do pau no fria da minha bunda, seu hálito gostoso na minha boca e eu a beija-lá quando começo a sentir seu pau na minha bunda vejo meus tios olhando para mim.

continua...


CRÔNICA DE UMA TRAIÇÃO CONSENTIDA E TARDIA

 

Eles estavam brigados. A discussão tinha sido séria. Na estrada ele ia imaginando mudar de vida, nunca mais voltar para casa. 

O casamento ia mal já havia algum tempo. Mesmo no sexo, onde antes protagonizavam cenas tórridas e fantasias picantes, nos últimos tempos já não era a mesma coisa. 

Na cidade praiana ele acabou encontrando uma bela mulher que, embora casada, não refutou uma aventura extraconjugal. O marido distante e a bela loira aproveitando-se de sua ausência para plantar chifres na sua testa fértil e para sua felicidade fora o escolhido. 

Acabaram se apaixonando e ela pretendia largar do marido para ficar com ele. Ele também sonhou em ficar com ela para sempre. 

Sua esposa telefonava quase todos os dias e pedia para ele voltar. Insistia, mas ele não relutava. Estava feliz e pretendia assim continuar. 

À noite, quando estava só, ficava imaginando que sua esposa poderia arrumar outro homem. Um caso definitivo era difícil, mas uma aventura não era nada impossível. Não se preocupava com isto, pelo contrário, ficava excitado em imaginar ela transando com outro homem. Em algumas noites chegou a se masturbar imaginando sua esposa na cama com outro homem. 

Ele tinha dois amigos que sabia que estavam na lista de preferência de sua esposa. Um deles era um parente distante e o outro que frequentava sua casa com a mulher, este último a quem ela havia contado que ele e a esposa faziam fantasias imaginando-o com ela. 

Chegou a ligar para o último e sugerir que ele telefonasse para sua esposa e se oferecesse para consolá-la. 

Após quase dois meses alguns compromissos exigiram sua volta para a cidade de origem. Para não ficar num hotel resolveu dormir em sua própria casa, mesmo sabendo que corria o risco de ser convencido, de alguma forma, a retornar definitivamente, principalmente se ela lhe contasse de alguma aventura sexual. Ele sabia que neste caso não resistiria e acabaria transando com ela. 

Ela recebeu-o com festas, mas ele estava frio e irredutível. Ela insistiu para ele ficar e então ele contou a ela que não voltaria, pois tinha alguém com quem estava ficando na outra cidade. A reação dela foi de inconformismo. Chorou muito, implorou para ele ficar. Na volta ela queria que ele a levasse a um motel. Ele tentou resistir, disse não várias vezes. Passaram por defronte a um drive-in e ele achou que estava senhor da situação. Entrou. No carro mandou-a abrir totalmente a blusa e abaixou-lhe o sutiã. Deixou os seios dela à mostra e ficou aguardando o garçom. Ela quis se cobrir para que o garçom não visse seus peitos. Ele não deixou. Ele mandou que ela fizesse sexo oral nele. O garçom chegou e presenciou a cena. Os seios à vista e ela chupando-o. Ele fez com que ela erguesse o rosto para o garçom vê-la. Ele apertou o seios dela sacudindo-os. O garçom pigarreou. Depois que o garçom se foi ficaram quase nus e transaram no carro. 

Este foi o grande erro cometido. No momento em que ele fez sexo com ela a situação reverteu. Acabou voltando para casa. 

À noite, através do computador ele comunicou para a bela loira que tudo estava acabado. Não foi uma tarefa fácil. As lágrimas de seu rosto pingavam no teclado enquanto ele se despedia daquela bela mulher que lhe havia encantado. Do outro lado, a loira não acreditava que estava acabado aquele amor que ela já julgava eterno. Ambos choraram ao se despedir. 

Desse episódio restaram algumas dúvidas; o amigo e parente distante teria transado com ela? E o outro amigo por quem sua mulher havia confessado nas fantasias de que gostaria de transar com ele teria ao menos tentado?

O parente havia tido uma chance pelo menos. Tinha dado carona para ela num jantar de um clube do qual faziam parte. E o outro? Ele achava tão estranho que este último nem tivesse tentado. Se ele sabia que a mulher do amigo demonstrava interesse sexual porque não tentava ao menos? Seria medo ou timidez? Falta de interesse? Quem sabe seu amigo não tivesse vontade de transar com ela mas não queria lhe contar.

De qualquer forma, ele continuava com aquela vontade de que sua esposa tivesse uma aventura extraconjugal. Ele tinha desconfianças, mas nenhuma certeza. Sempre que transavam ele imaginava ela com o amigo, porém as fantasias entre os dois se acabaram porque ela agora se negava a fazê-las. Pior, ela começou a falar mal do amigo. Parecia que tinha raiva dele. Ele não entendia o porquê. O que teria acontecido para que ela se transformasse desse jeito? De homem preferido nas fantasias ele se transformou para ela no penúltimo homem do mundo?

O tempo passou. A vida sexual deles nunca mais foi a mesma. Ele voltou a se encontrar com a loira. Não dava mais atenção a esposa. Ela vivia ressentida e necessitada de sexo. Ele percebia, mas pouco se importava. Continuava querendo que ela conhecesse outro homem. Achava que isto poderia até salvar seu casamento tornando a vida sexual deles novamente fogosa e trepidante. Não só voltar às antigas fantasias, mas viver situações reais. 

O tempo passou e um belo dia aquele seu velho amigo confidenciou que havia dado consolo a ela. Contou como fizeram sexo no sofá da sala de visitas de sua casa quando ele estava fora, talvez usufruindo dos pecados oferecidos pela bela loira. Estranho! Ele sentiu um certo tesão na hora em que seu amigo contou os detalhes, mas logo depois achou que foi uma coisa tão natural que a excitação quase sumiu. Acho que como havia passado um certo tempo a hora do tesão também havia passado. Ele não pode curtir com ela a traição, como sempre desejou. Ela sempre negaria o fato. Enfim, ela ficou um tanto frustrado em ver aquele grande desejo se realizar, mas ao mesmo tempo não poder curti-lo. 

Pensou em convidá-lo para tomar uísque em sua casa, como nos velhos tempos. Quem sabe houvesse alguma possibilidade de fazer com que os dois se aproximassem e que dessa vez fosse diferente, que talvez ele até participasse com os dois.

 

Comi minha tia a alguns dias

 

A irmã de minha mãe, a tia Lúcia, faz parte de minha vida desde criança, mas foi somente na adolescência quando já tinha minhas ideias mais esclarecidas e quando veio as conversas sobre sexo nas rodas de amizade que comecei a deseja- lá.

Tia Lúcia é uma coroa muito vaidosa que por meio de seus cabelos louros, peitões siliconados, corpinho seco devido a academia e caminhadas além da genética de nossa família mantem uma senhora turbinada. Eu fico imaginando a sorte do Tio Marcos que toda noite deve arrebentar ela. Não é difícil para alguém logo perceber o quanto ela é safada louca por pica, só aquela cara dela a acusa. 

Hoje eu tenho vinte e um anos; ela na casa dos quarenta. Nunca me deu bola é claro, porém ultimamente ela sempre falava alguma piadinha sobre sexo comigo como se tivesse querendo algo. Cresci junto com o Leandro, meu primo filho dela com tio Marcos, por isso sempre tava na casa da tia. Uma vez cheguei lá e Leandro tinha saído com seu pai, disse que depois eu voltava porem ela insistiu que eu ficasse um instante, acabei topando. Estava fazendo almoço mas tinha parado um instante para assistir tv. Sentamos no sofá e a conversa foi rolando interrompida apenas para ver como estavam suas panelas nessa hora sempre olhava para aquele cuzão. Conversa vai, conversa vem, já estávamos falando sobre intimidades e finalmente sobre sexo. Falava que ela achava muito bonita e que o tio tinha sorte por ter uma mulher que gosta de se cuidar. Nessa hora já rolava um clima meio estranho, ela dizia que agora que eu tinha crescido podia me falar assuntos mais picantes. Nesse dia ela usava uma regata branca e uma saia. Não parava de desviar o olhar para seu decote, ela deve ter percebido, ai as coisas so foram esquentando mais até que ela se aproximou e passou a mão por cima da bermuda alisando meu pênis que já tava duro.Ela disse que era doida pra ver um novinho e perguntou se eu queria fazer algo. Se a senhora tiver a fim... 

Se você não contar pra niguém, agora deixa ver essa coisa ai na que tu tem na cueca. 

Ual, não existe sexo melhor do que uma coroa, oh bixa tarada! Assim que tirei o negoço pra fora ela pegou meu pau na mão e começou a masturbar, perguntou se alguém já tinha me feito um boquete, se ajoelho e me chupou gostoso. Que boca gostosa, primeiro lambia so a cabecinha depois enfiava tudo na boca e ainda chupava as bolas. Vem, me comer agora... 

peguei ela de quatro e comecei a socar nela enquanto ainda rebolava aquela bunda. Deitei no chão pra ela vir por cima, minhas duvidas se tornando realidade, que mulher fogosa cavalgava minha pica com maestria enquanto mexia naquelas tetas. Pra frente e pra tras sucessivamente quando senti que ia gozar tirei de dentro e imediatamente esporrei em sua barriga. Ainda ficou brincando com meu pau e depois de limpar aquele esperma em mim perguntou se tinha gostado. Vestimos a roupa e fui embora. Hoje ela ligou e disse que amanha ela vai estar sozinha em casa e que se eu quisesse podia passar lá. Espero ancioso até la.

 

Gozando na boca da cunhadinha enquanto a namorada dormia

 Namorava a Natália há mais ou menos 2 anos, e comecei a notar a minha cunhadinha, na época com 17 aninhos. Seu desenvolvimento era notório, e o comentário de todos era de que “com certeza ela já está dando por aí”, especialmente de sua irmã, que a classificava como uma “menina de cabeça fraca”. De fato, Luciana alternava coisas de mulher madura com lances de menininha ingênua, e isso me deixava particularmente curioso sobre como deveria ser seu comportamento na cama. Bem, mas o fato era que eu curtia bastante a minha namorada, uma loirinha com uma bunda grande, olhos verdes e peitinhos pequenos. 

Luciana não. Luciana era corpulenta, voluptuosa, uma loira com bunda bem durinha e seios bastante fartos. Nos dávamos muito bem, e de uns tempos para cá Natália começava a implicar um pouco com essa proximidade toda, já que eu e Luciana viramos confidentes um do outro e estávamos sempre com brincadeiras, o que por vezes chateava bastante a minha namorada. Em um verão, fomos para a praia, e Luciana estava absolutamente esplendorosa, numa fase realmente espetacular, chamando a atenção por onde queria que passasse. Nossa proximidade era notada por todos, mas sem malícia, cantávamos sambas, ríamos, nos divertíamos pra valer. 

Nosso entrosamento era diretamente proporcional ao deterioramento de minhas relações com Natália. Ela não parecia mais muito interessada em mim, sexo era algo bastante raro, e eu estava tentando salvar a relação. Propus diversas situações excitantes como fazer sexo numa praia semi-deserta à luz do dia, dentro do carro estacionado na garagem com toda sua família dentro da casa, e principalmente à noite no quarto onde dormíamos junto com a Luciana. Numa dessas noites de sexo dentro do quarto, quando transávamos em pé para não emitir qualquer ruído que acordasse a minha cunhadinha, tive a impressão que ela tava vendo o que fazíamos. Olhei melhor e ela estava de olhos fechados, com o que concluí que devia ser só impressão. 

No dia seguinte, ela estava diferente. Tinha um olhar malicioso e um risinho safado sempre que se dirigia a mim. Em uma dessas, estávamos na praia, eu e ela na água e o resto da família na areia, ela se aproxima de mim e fala: “Amarra meu biquíni?”. Eu prontamente atendi, ela se virou de costas e eu comecei a amarrar. Nisso, ela encosta a bunda fabulosa em mim e meu pau endurece na hora . Ela deu uma risadinha e perguntou: “O que foi, tá com tesão na cunhadinha? Ou só quer saber de comer a irmã dela de noite no quarto?” Eu respondi: “Ué, do que tu ta falando?” Ela disse: “Tu acha que eu não vejo vocês transando no quarto, na minha frente? Umas transas bem mais ou menos, por sinal! Eu se tivesse no lugar da Natália faria bem melhor”. Fiquei sem reação e ela continuava a esfregar a bunda no meu cacete, que estava duríssimo. “Nossa, deve ser uma delícia! Logo eu vou tirar a prova!” disse, e simplesmente saiu e me deixou sozinho na água. Me acalmei e retornei, e o dia seguiu normal. 

À noite, recebi a notícia de que a cunhadinha iria a uma festa em uma praia vizinha. Pensei que seria a oportunidade ideal para comer minha namorada com mais privacidade. Pra minha surpresa, quando chegou a noite, ela alegou estar cansada e foi  dormir. Justo aquela noite que eu estava em ponto de bala, muito por causa da minha conversa com Luciana na água, claro. Custei a dormir e, quando eram mais ou menos 3 horas da manhã, recebo uma mensagem no celular. Era da minha cunhadinha, dizendo que a festa tava chata e que ela estava voltando, e queria que eu fizesse a noite ficar mais divertida. Perguntei o que poderia fazer para conseguir isto e ela respondeu: 

“Me encontra no quintal atrás da casa que eu te mostro.” Sem pensar muito, fui conferir. Quando cheguei lá, ela já estava me esperando, aburdamente gostosa com um vestidinho minúsculo de alcinha e um saltão, que fazia ela ficar ainda mais alta e mais poderosa. Sem dizer nada, já cheguei agarrando e beijando aquela boca carnuda. Imediatamente levantei o vestidinho e comecei a acariciar aquela bunda, que tanto havia desejado durante o dia desde o papo na água. Ela correspondia a cada um dos meus ataques, e já foi tirando minha camiseta e começou a me beijar, descendo até chegar à minha cintura. Meu pau tava duríssimo, e ela começou a chupá-lo por cima da bermuda, enquanto me olhava com uma carinha de safada. “Garanto que minha irmã não faz desse jeito, né?” Só balancei a cabeça negativamente, ela sorriu e tirou minha bermuda e minha cueca em um só movimento. Fez uma cara de mais piranha ainda, olhando pro meu pau, e sem demora começou a beijar a cabecinha, lambendo até a base e logo começou a chupar. 

Que boquete gostoso fazia aquela menina! A sensação de perigo duplo, por estar no quintal atrás da casa onde estava toda a família da minha namorada e também por estar à vista de qualquer um que passasse pela rua de trás da casa davam um sabor todo especial ao momento, que por si só já era memorável. Nunca imaginei que aquela menina fosse tão gostosa e me desse tanto tesão. Depois do boquete, foi a minha vez de investir sobre aquele corpo deslumbrante. Tirei a alcinha do vestidinho, e aqueles dois peitões saltaram na minha cara! Comecei a mordiscá-los, lambê-los, chupá-los, beijá-los, eu nem sabia direito o que fazer com aquelas duas maravilhas que mal cabiam na minha boca. Comecei a beijá-la, descendo até chegar à sua diminuta calcinha. Senti o cheiro maravilhoso do seu sexo, e estava louco para sentir seu sabor. 

Tirei a calcinha e a visão daquela bucetinha toda depiladinha me enlouqueceu. A virei de costas, encostada em um murinho que tinha na varanda da casa, e comecei a chupar enlouquecidamente aquela maravilha de buceta que ela tinha. Luciana não estava nem aí pro perigo e gritava de tesão, e pedia mais. Eu fiquei até com medo de ser pego, mas o tesão era absurdo para considerar qualquer coisa que não fosse aquele espetáculo que estava acontecendo. Finalmente chegou a hora do ato central daquela peça sensacional. Estávamos pensando a mesma coisa, então ela se virou e foi até sua bolsa, de onde trouxe uma camisinha. Me olhou com uma carinha mista de sapequinha com safadinha e disse: 

“Põe a camisinha e vem. Não agüento mais de vontade”. Nossa, coloquei a camisinha o mais rápido que pude e fui até a cunhadinha, que estava na mesma posição de quando eu estava chupando-a, com a bunda bem empinada. Enfiei meu cacete nela, que deu um grito alto e começou a gemer. Eu nem lembrava onde estávamos, e pelo visto ela também não, e fodemos gostoso durante um bom tempo, até que ela gozou, fazendo um escândalo. Se a parte de trás da casa não fosse meio separada dos quartos, era certo que alguém teria nos escutado. 

Sentei no muro e ela montou em mim, cavalgando bem gostoso no meu pau. Beijava aquela boca gostosa, e falava várias sacanagens no ouvido dela, dizendo que fazia tempo que eu queria comer ela desse jeito. Ela entrava no jogo, e em um dos momentos disse que seria minha amante a partir de agora e que se eu não me comportasse direitinho ela acabaria meu namoro. Disse ainda que eu estava em suas mãos, e teria que comê-la sempre que ela quisesse. Eu só concordava, primeiro por estar com tanto tesão e também porque naquelas alturas do campeonato não havia mais o que fazer mesmo. Após gozar gostoso narrando todas as suas sensações no meu ouvido, ela se virou e sentou de costas no meu caralho. A visão daquela bunda durinha me enlouquecia. Após mais uns minutos assim, estava chegando a minha hora de gozar. Levantei com ela no meu colo e a coloquei de pé, com as mãos em um dos pilares que sustentavam a varanda. Aumentei o ritmo e ela percebeu que eu iria gozar. Imediatamente ela parou tudo e disse: 

“Eu quero que tu goze sim, mas não vai ser aqui fora, literalmente.” Fiz uma cara de quem não entendeu, ela me pegou pela mão e disse: “Vou te mostrar que hoje de manhã na praia eu estava falando sério.” Pegou as suas coisas e disse pra eu pegar as minhas e seguir ela, que eu não iria me arrepender. Não entendi, mas concordei, peguei minhas roupas e fui atrás daquela gostosa maluca. Pra minha surpresa, ela foi entrando na casa, peladinha, e eu puxei ela perguntando o que ela tava fazendo. Ela disse: “Tu vai me comer lá no quarto, na frente da Natália, e vai gozar tudo na minha boca. Vou te provar que sou muito melhor do que ela nas mesmas condições!” Antes que eu dissesse que ela tava louca, ela me puxou e foi andando até o quarto, resoluta. Abriu a porta e me olhou com uma carinha que afastou qualquer traço de racionalidade que estivesse passando pela minha cabeça. Entramos no quarto, minha namorada parecia estar mesmo ferrada no sono, e a Luciana já veio me agarrando. Meu pau em seguida endureceu de novo, ela deitou na cama, e abriu bem as pernas, pedindo pra eu meter. 

Com a adrenalina a mil, soquei com força naquela vadiazinha, que arfava e respirava forte. Comi ela uns bons minutos assim, sempre de olho na cama onde minha mina dormia, mil coisas passando na minha cabeça, mas o tesão era a mais forte de todas. Então, a cunhadinha ficou de quatro, e eu prontamente comecei a meter gostoso naquela buceta. Não sei como a Natália não acordou, porque a cama fazia barulho a cada estocada que eu dava. Quando chegou a hora de gozar, tirei meu pau de dentro dela, que prontamente já veio tirando a camisinha e pedindo pra que gozar tudo na boca dela. Não demorou muito e eu jorrei muita porra naquela boca gostosa. Ela engoliu tudinho, fez aquela cara de sapeca/safada que tanto me encantava e disse: “E aí, quem é melhor?” Respondi: “Você, lógico!” Ela, enigmática, comentou: “Você não viu nada ainda”. Deu uma risadinha e foi dormir. E ela estava certa, depois daquilo eu vi muitas coisas ainda, mas isso é assunto pra contos futuros.


A primera vez que comi o cuzinho da minha esposa vadia

Vomos fazer 23 anos de casados . Durante estes anos tivemos transas inequecíveis, porém, por mais de 15 anos minha esposa privou-me de comer seu cuzinho. Morria de medo. Era travada quanto a isso. Por diversas vezes tentamos, mas na hora H, nada.

Ela tem uma bunda linda e um cuzinho que é uma florzinha e isso me deixava maluco. Era meu aniversário e ela disse que de presente, iria fazer todo esforço para dar o rabinho. Fomos a um motel, preparamos todo o clima, bebemos uma garrafa de vinho e finalmente, depois de muito tentar, consegui fazer "meia penetração", porém, foi horrível.

Ela sentiu muita dor, apesar do KY. Na volta conversamos e ela, confessou que apesar da dor, sentiu um pouco de prazer e gostaria de tentar de novo, mas daí a pelo menos um mes. Passado um 2 meses, fomos para casa da mãe dela, passar uns dias e ali, era o último lugar no mundo que imaginava ela me dando o rabo. Uma bela noite, ela tomou banho e foi para o quarto, (não era suite) e pediu-me para que fosse em seguida. Quando entrei no quarto após o banho tomado, tive um bela surpresa. Minha bela esposa de cinta liga vermelha e sandalia de salto bem alto, toda cheirosa e com o KY na mão, dizendo que seria aqule dia ou nunca mais. 

Me tomou pela mão e após uma incrível chupeta, lubrificou meu pau e o seu cuzinho e falou-me que a penetração seria do jeito dela. Deitou-se de ladinho e arreganhou a bunda, pedindo para enfiar bem devargazinho. Fiz isso com todo o carinho possível e demorou mais ou menos uns 5 minutos, até que meu cacete estivesse todo dentro daquele rabinho. 

Daí para frente meus amigos, depois que "laceou" , minha querida parecia uma égua no cio. Terminamos a transa comigo por cima, esfregando meus pentelhos em sua buceta e meu pau atolado até os ovos no seu cú. teve uma das maiores gozadas até então e eu quase me acabei com meu gozo em cima dela. Foi o ínicio da melhor fase sexual nossa. Hpje pelo menos uma vez por semana, fazemos o sexo anal , sendo que, quando a mesma está menstruada, é muito melhor a transa com aquele cuzinho que não canso de chupar e meter sem dó.

 

Meu patrão safado me fodeu encima da mesa da minha chefa

Olá, sou Pâmela e o q vou lhes contar aconteceu aos meus 24 aninhos, morena gostosa q sou, perna grossa, cabelos compridos, bumbum considerado, era casada e diga-se de passagem bem casada, porém, as coisas foram tomando outros rumos, e derrepente meu marido chega e me fala q vai dar um tempo, achei  q tinha outra e não estava errada, bem, enquanto casada meu marido gostava muito de promover churrascos em casa, aproveitava pra ganhar uns elogios, notava q os amigos dele me comiam com os olhos, ja separada um dia dois amigos dele foram pegar agua em casa q era de poço artesiano, enquanto pegavam a agua falavam coisas do tipo, fulano é doido, deixar vc esse mulherão, encheram os baldes e foram embora, como a casa era grande mudei pra um apartamento, certo dia um dos q foram buscar agua, apareceu no meu apartamento com o pretexto de saber onde meu marido estava morando pois precisava falar com ele, falei q não sabia também, foi aí q ele perguntou q ja q estava separada se não queria trabalhar, pois, no escritório q trabalhava tavam precisando de uma pessoa, não precisava, mas, na hora veio na minha cabeça a oportunidade de conhecer gente nova sair daquela situação q tava muito dificil, pois gostava muito do meu marido, então falei q sim, ele falou pra eu ir no outro dia lá q ele iria me apresentar, no outro dia cedo coloquei uma roupa bem sensual, provocante e fui, chegando lá ele me apresentou, fiz um teste passei obviamente, e comecei a trabalhar, era uma agencia de aviação, logo era frequentada por pilotos de avião, e não demorou pra cobrir de gavião querendo me comer, era presentes, convites pra jantar, viajar, logo o carinha q me arrumar a vaga começou a dar encima de mim, então pra retribuir começamos a sair, certo dia ele veio com uma conversa q meu chefe tinha falado pra ele q me achava muito gostosa q ia botar pra me comer q era pra eu ficar esperta com ele, meu chefe era do tipo galã, boa pinta, muito cheiroso, alto magro, só andava bem vestido e era piloto, do tipo irresistível, porém, era casado mas a mulher morava em outra cidade e tinha um caso com a chefa do escritório, por esse motivo ja evitava o máximo olhr pra ele, ou ficar de bate papo, só falava o necessário, pois a chefa era ciumenta demais, ja se passara algum tempo, e a cada dia q passava seus olhares eram mais fuminantes pra mim, e aquilo também ja tava mexendo comigo, certo dia antes de sair foi até a mesa da minha chefa e falou algo pra ela e saiu, quando fui saindo minha chefa me chamou e disse q o patrão pediu q chegasse mais cedo pra preparar um relatório pra ele q ia precisar, falei ok e sair, no outro dia cheguei cedinho, falei com o guarda q fazia a segurança, entrei e fui pra sala, abrir a porta quando acendir a luz, levei um baita de um susto meu patrão sentado na minha cadeira, dei um bom dia sem graça ele respondeu cheio de autoridade, levantou foi até a porta trancou e ficou com a chave na mão, perguntei então a ele q relatório q queria, nem bem terminei de falar ele voou encima de mim, me beijando igual um louco metendo sua linguona todinha na minha boca, me mordendo, arrancou minha blusa, depois arrancou minha saia, o cara tava taradão, não me dava tempo pra reação era só ataque, até q ele falou, vc pensou mesmo q eu estava querendo relatório, eu é te fuder sua vadia, venho só observando seu jeito me provocando mais agora vc vai se fuder, sua puta safada, passou a mão por cima da mesa derrubando tudo q tinha encima me pegou pela cintura me deitou encima da mesa e de um só puxão rasgou minha calcinha, e começou a chupar minha buceta, parecia q tava louco, esfregava a cara dele na minha buceta, me chamava de gostosa de puta de vadia era muita loucura, aquilo me deixou louca, e entrei numa sessão de gôzos, só não gritava pra não chamar atenção, mais era muito alucinante, depois de gozar sucessivas vezes comecei a implorar pra ele me comer, ele dizia implora mais sua vadia sua cadela, teu marido é um otário em dispensar esse bucetão, então, levantou puxou minha cabeça pra fora da mesa se posicionou bem enfrente meu rosto, abriu a braguilha e tirou aquele enorme pau de dentro da sunga, arriou a calça um pouquinho juntamente com a sunga, pegou nos meus cabelos e começou a forçar aquela enorme pica na minha boca, esfregava na minha cara aquele pau duro igual ferro, era um pau grande bem comprido, agora não era grosso era médio na grossura mais o tamanho assustava, nunca tinha visto um daquele tamanho, isso me deixou mais louca ainda, ele botou na minha boca começou um vaivém devagar foi acelerando, eu me engasgava com a pica dele, enguiava, chegava a ficar sem fôlego, ameaçava tirar de dentro da minha boca mais o filho da puta precionava minha cabeça com meu cabelo cada vez mais forte, foi quando aumentou o vaivém e começou a urrar igual a um bicho e começou a gozar, depois dos primeiros jatos da sua gala tirou o pau da minha boca e ficou jorrando gala na minha cara no meu cabelo pelos meus peitos o cara perecia um cavalo, fiquei toda lambuzada de gala, então, pediu q limpasse bem limpinho seu pau, q iria fazer um vôo e q no final do expediente voltava pra me comer, q eu me arrumasse q os nossos colegas não iam demorar a chegar, então coloquei minha blusa toda arrebentada e a saia, a calcinha essa tava toda rasgada, o cheiro de sexo era muito forte na sala, então botei um bom ar pra amenizar, fui até toillet, levei meu rosto, passei agua no meu cabelo, retoquei a maquiagem e fui pra cozinha tomar café, pois, no escritório tinha cozinha e um lugar de laser na hora do almoço, logo os colegas começaram a chegar e só depois fui pra sala, com medo da chefa desconfiar, quando entrei ela perguntou se tinha feito o relatório, falei q sim, quis saber de q era falei q era de controle das horas dos motores dos aviões, ela falou legal e começamos a trabalhar, porém, não saía da minha cabeça toda aquela loucura e a última frase q ele falou q no final do expediente ia voltar pra me comer, quando pensava minha buceta contraía, agora frio pra caramba no escritório e eu sem calcinha, minha buceta tava gelada, quando foi lá pra cinco horas da tarde o telefone toca minha chefa atendeu, seus olhos vieram logo pra cima de mim, imaginei q era ele montando mais uma de suas armações, não deu outra, ja estava me preparando pra sair minha chefa fala Pâmela, tem como vc ficar mais um pouquinho pois, o patrão ligou e falou q o relatório q vc fez tava imcompleto pra vc terminar pra ele pois é urgente e muito importante, falei q sim q não tinha problema, ela agradeceu falou q ele ja tava chegando, pensei mal sabe ela ela q aquela monstra pica q fode ela vai foder também, assim q saiu todo mundo ele entrou foi fechando a porta voanado encima de mim e foi dizendo não falei q voltava pra fuder vc, agora vc vai se fuder de verdade comigo sua puta, sua vadia e aquilo me enchia de tesão, arrancou minha roupa fora frouxou seu cinto de cawboy baixou a calça com a sunga até o joelho, andou pro rumo da mesa da minha chefa derrubou tudo q tinha encima, me colocou em pé enfrente a mesa depois deitou meus seios na mesa me fazendo ficar de quatro pra ele, abaixou começou a chupar minha buceta com força, mordia puxava, o cara era louco e aquilo me enloquecia de tesão, logo começou a meter a lingua no meu cú, aquilo começou a me tirar gritos de prazer então não aguentei entrei em outra sessão de gôzos, minha buceta tava ardida, enxarcada do líquido do meu prazer, foi aí q virou pra e trouxe aquela pica ainda meia bamba pra mim chupar agarrei com a duas mãos fui até seu saco, chupei suas bolas e logo aquela enorme pica tava dura q nem pau, voltou pra onde tava, direcionou aquela pica na entrada da minha buceta, segurou bem forte meus cabelos puxando pra ele, e de uma só estocada meteu sua pica na minha buceta, o q me tirou um grito de dor pois doeu bastante, encostou no final da minha buceta foi no útero, e segurou um vaivém acelerado, me recuperei e parroda encaixou, batia na minha bunda, me chamava de puta de vadia era muita loucura rolando eu estava estasiada, depois de algum tempo fudendo literalmente minha buceta pois não sabia se sentia tesão, prazer ou dores, ele parou, tirou sua pica da minha buceta mais vermelha do q tomate maduro, cuspiu no buraco do meu cu, meteu um dedo, depois meteu outro, lubrificou bem meu cú, cuspiu na mão dele passou no pau dele, depois direcionou sua pica pro meu cu, imaginei se na buceta ja doeu como não vai ser no meu cu coitado dele e de mim, então ele segurou novamente no meu cabelo e começou precionando bem devagar foi entarando, entrando aí ele começou um vaivém bem cadenciado, quando tava bem melado sem q me desse tempo pra reação incalcou tudinho no meu cú, aquilo parecia q um punhal tinha entrado no meu cu rasgando todo, dei um grito, filhooooooooooo da putaaaaaaaaaa, tu não ta metendo no teu não seu filho da puta, mais ele não tava nem aí, e ainda falou, morena eu te falei q ia voltar pra te foder, então me refiz, novamente, e deixei ele saciar seus desejos, ele parecia q queria me varar de um lado pro outro socando sua enorme pica no meu cú, depois de algum tempo socando forte no meu rabo começou acelerar o vaivém e logo estava urrando novamente dizendo q ia gozar e gozou dentro do meu cú, depois do gôzo me puxou pro carpete com ele fez eu limpar seu pau chupando, foi aí q tive certeza q ele tinha rasgado meu cú, pois, junto esperma fragmentos de merda sentir gosto de sangue no pau dele, mais limpei bem limpinho, ficamos alguns minutos nos refazendo eu tava zonza de tanto gozar e toda dolorida e ardida, depois me beijou carinhosamente e me falou q foi a mais gostosa foda q ele havia dado q eu era muito gostosa, falei q também nunca tinham me fudido assim, q ele era muito gostoso também, então nos refizemos, dei uma arrumada na mesa da minha chefa e ele me levou pra jantar, depois me levou até o meu apartamento mde deu um beijo enfiando sua liguona na minha boca disse q tinha adorado e foi embora, cheguei no apartamento fui tomar um belo banho e aí também vi sangue na minha urina e no resto de esperma q saiu do meu cú, o filho da puta me fudeu todinha realmente, mais foi uma foda marcante pra mim, passei seis meses nesse trabalho, como imaginei, meu ex ficou todo inciumado me pediu pra sair e como gosto muito dele sair, mas, como falei q no escritório tinha uma cozinha e uma área de laser, vcs podem imaginar quantas fodas rolaram lá e eu posso lhe assegurar q foram muitas, então, até a próxima, bye.

Realizando Minha Fantasia.

Oi nome e Isadora ;vou contar de um cara que fez safadezas comigo .

Eu sempre tinha uma vontade de dar em grupo tipo eu e a minha amiga Geovaninha e mais 2 garanhões ou mais kkkk.
Eu ja comentei isso com a Ge mas ela não quiz saber , mas eu prometi pra mim mesma que eu iria realizar minha fantasia um dia.
Passado alguns dias eu fui a uma festa a fantasia na cidade eu aluguei uma roupa de enfermeira uma sainha curtinha que parecia minha bundinha uma calcinha branca e uma camisolinha e sem o sutiã e fui eu e a Ge
Chegando la percebi que la avia só mulekes (criãnças) , vi que não ia rolar nada , mas tarde um pouco foi chegando mas gente ate que lotou o lugar .
eu dancei muito , ate que comecei a senti uma mão em minha bunda , quando eu olho pra tras era 3 homens mais velhos ,eu xinguei eles “vc´s não tem o que fazer não eu sou nova vc´s querem arrumar rolo ”
Um delesolhou e falou “olha vc vem assim mostrando a sua bundinha e os peitinhos quase de fora vc ta procurando rola menina e se vc quer rola tem 3 aqui pra vc ”
Não dei bola e sai , passados algum tempo eu avia ficado com um garoto mas foi so no beijo ,resolvi sair atras da Geovana para nos irmos embora , um amigo nosso me falo que tinha vido ela saindo com um cara e eu fui atras mas não achei ela e fui embora sozinha .
No caminho percebi que estava sendo perseguida “ai meu Deus quem sera que esta me seguindo sera qui vou ser estrupada me proteja ” e continuei , escutei uma voz “ei gatinha espera ai vamos te levar embora espera ai”
Eles correram ate mim ,eu estava assustada 3 homens velhos , então fui com eles , no caminho eu pensei no minha fantasia de dar pra 2 homens mas tinha 3 e poderia ser melhor , eu chamei um deles no canto e falei ” olha posso pedir uma coisa pra vc eu tenho vontade de fazer sexo com varios homens mas tenho medo de vc´s me machuca vc ve se eles quer me comer mas tem que ser de vagar tá” , ele foi e toparam , um deles sugeriu que nós fossemos para casa dele , ele era separado e tinha um filho que morava com ele mas no final de semana ele ficava com sua mãe , e fomos para sua casa , entramos nós 4 lá , e estava um pouco com medo deles me violentar e fazer coisas piores comigo , cheguei a pedi para ir embora , mas fiquei .
Entramos no quarto todos eles ficaram nú e pediram para que eu tirasse só a blusa e ficasse com a fantasia de enfermeira , eu sentia varias mãos em mim seus pintos encostando um tentando me comer meu cuzinho sem tirar minha calcinha “ai vc e linda Isadora não acredito que vou comer vc ” , eles tiraram minha calcinha e minha camisolinha me deixando só de saia , um deitou e pediu para eu molhar seu pau eu entendi na hora e cai de boca em seu pau em quando eu chupava de 4 eu senti uma vara penetrando minha vagina tava gostoso , e quando mas ele socava em mim mas eu chupava seu pau , parei de chupar e sentei em seu pau cheio da minha baba deixei molhadinho para entrar mais gostoso , veio outro por tras e com os dedos foi abrindo meu cuzinho , o terceiroveio na minha frente e pediu para chupa lo seu pau , comecei a calvaga em seu pau “nossa Isadora pula bem vai de vagar estou sem camisinha vamos comer vc sem camisinha não vamos gozar dentro de vc eu prometo ” eu senti que eles iam cuidar bem de mim , em quando isso o cara que estava tentando comer meu rabinho pediu para parar de mexer eu parei e colocou sei pau no meu rabinho ficamos um tempão daquele jeito trocamos cada hora um comia minha bundinha um chegou ate a gozar dentro do meu cu no final eles pediram para eu agachar e chupar os 3 paus não aceitei estavam todos fedidor de porra , “Isadora
agacha linda vamos gozar em seu rostinho prometi que não iriamos gozar dentro de vc então agora vamos gozar em vc e depois vc toma banho ” , eu como uma menina educada agachei e fiquei de cara com 3 varas , comesaram a bater punheta e gozaram em mim como eu fosse uma puta ou atriz porno , enfim eu fui realizada foi gostoso tomei banho um deles queria mais mas eu estava cansada de tanto levar vara ,chupar vara e tudo mais , acabei meu banho e eles me levaram pra casa .
No outro dia fui atras da Geovaninha , “amiga vc não acredita eu conheci um garoto e ele me levou para o motel fizemos sexo a noite inteira eu ate dei minha bundinha pra ele e vc Isadora o que fez de bom ” eu contei tudo a ela ,e não acreditou em mim , eu fiquei realizada , pensei varias vezes naquela cena foi bom.
FIM…

 

Minha Mulher E Os Moleques

CASADO A NOVE ANOS COM DAISE, TENHO 43 E ELA 32 , MAIS ELA PARECE UMA GAROTINHA TEM UM CORPINHO MARAVILHOSO.
SEMPRE GOSTEI DE EXIBILA NA RUA , NO COMESSO ELA ATE QUE GOSTAVA, MAIS CONFORME PASSOU O TEMPO ELA FICOU RECEIOSA.
DE UM TEMPO PRA CA PASSEI A FANTAZIAR ELA COM OUTROS HOMEN ISSO ME DAVA O MAIOR TESAO, ENTAO NA OCASIAO EU ESTAVA COM ELA EM UM BARZINHO E JA TINHAMOS BEBIDO TODAS, REVELEI PARA ELA QUE ESTAVA QUERENDO VER ELA NA PICA DE OUTRO MACHO. ELA ENTAO DISSE QUE EU TAVA LOUCO QUE NAO FARIA ISSO MAIS NAQUELA NOITE TRPAMOS FEITO ANIMAIS, SENTI QUE ELA ESTAVA DIFERENTE ENTAO FALEI VOU ARRUMAR UM MACHO PRA TE FODER, ELA GOZOU E GEMEU MUITO AUTO.
NO DIA SEGUINTE TOQUEI NO ASSUNTO MAIS ELA REJEITOU FALOU QUE NAO TINHA CORAGEM COISA E TAL.
FIQUEI DESANIMADO, ATE QUE ESCUTEI ALGUNS GAROTOS CONVERSANDO QUE FULANODE TAL TINHA IDO A UM PUTEIRO FUDER UMA PUTA E QUE ELES QUERIAM IR MAIS TINHAM RECEIO, ENTAO RAPIDAMENTE ENTREI NA CONVERSA E FALEI OLHA VOCES NAO PRECISAM IR AO PUTEIRO PRA FODER COM UMA PIRANHA SE QUISEREM CONHEÇO UMA QUE VOCES PODEM FODER NA CASA DELA SEM PROBLEMAS E ELA E MUITO GOSTOSA, LOGO ELES SE INTERESSARAM EU ESTIQUEI O ASSUNTO FALANDO QUE ELA SO COBRAVA DEZ REIAS POR FODA E FAZIA TUDO ELES ADORARAM POIS FALARAM QUE LA NO PUTEIRO ERA 75 REAIS.
DEI MEU TELEFONE PRA ELES E FALEI QUANDO VOCES QUISEREM ME LIGUEM QUE EU MARCO PRA VOCES.
FUI PARA CASA E DOIDO DE TESAO EXPLIQUEI A MULHER O QUE EU TINHA FEITO, ELA ME CHAMOU DE MALUCO ENTAO EU FALEI , QUAL E O PROBLEMA AFINAL ELES SAO SO GAROTOS E VOCE VAI TER VARIAS PICA NOVINHAS E VIRGEM DENTRO DE VOCE IMAGINE SO UM MONTE DE GAROTOS COM TESAO A FLOR DA PELE TE FODENDO.
DEMOROU UM POUCO MAIS ELA CENFIM CONCORDOU ENTAO EU EXPLIQUE COMO FARIAMOS.
ELA TINHA QUE AGIR COMO UMA PUTA PROFICIONAL. USAR ROUPAS DE VAGABUNDA E AGIR COMO TAL.
DURANTE A SEMANA TREPAMOS FEITO LOUCOS, FOI QUANDO O MEU TELEFONE TOCOU ERA UM DAQUELES GAROTOS, FALANDO QUE QUERIA MARCAR PRA COMER A MULHER DE QUE EU FALEI ELE NAO ESTAVA SOZINHO POIS ESCUTAVA RISADAS EM SUA VOLTA.
MARQUE NAQUELE MESMO DIA A TARDE, ENTAO AO SAIR DO COLEGIO ELE APARECEU AINDA UNIFORMIZADO SOZINHO E TODO ENVERGONHADO, CONVERSEI COM ELE PARA DESCONTRAILO, ATE QUE MINHA MULHER APARECEU TRIUNFAL, COM UMA SAINHA DE ONCINHA CURTINHA E UMA CAMISETINHA MARROM SEM SUTIEM, UMA VAGABA PERFEITA. ENTAO EU OS APRESENTEI PEDIA A ELE O DINHEIRO PARA PARECER PROFICIONAL E OS DEIXEI JUNTOS.
AMIGOS, FIQUEI ESCONDIDO NO CORREDOR DO LADO DE FORA DA CASA OLHANDO PELA JANELA QUE ESTAVA SEMI ABERTA.
MINHA MULHER SUGOU O PINTO DAQUELE GAROTO FEITO PUTA PROFISSIONAL ELE GOZOU MUITO NA BOCA DELA E ACHO QUE PELO MOVIMENTO ELA ENGOLIU TUDINHO, NAO AGUENTEI E ME MASTURBEI ALI MESMO.
VARIOS OUTROS GAROTOS VIERAM FODER COM MINHA GOSTOSA DEPOIS QUE A HISTORIA SE ESPALHO NO COLEGIO DELES, HOJE MINHA MULHER E AMIGA DELES TODOS FODE PELOMENOS DUAS ZEZES POR DIA, E SE APROVEIRA DA VIRILIDADE DOS FRANGUINHOS CHUPANDO E METENTO COM TODOS ELES.
TNHO MAIS FOTOS QUE POSTAREI DEPOIS EM OUTRO RELATO COM DETALHES DA ALGAZARRA QUE ELES FIZERAM COM MINHA MULHER.


A Empregadinha

Ola meu nome é Izabelle tenho 43 anos,muito sexy ,seios medios e uma bunda muito gostosa.Como relatei no conto anterior perdi minha virgindade com um negão,o Ronaldo,muito gostoso.
Era sábado,ja fazia uma semana da nossa transa,estava em casa sozinha,quando ouço palmas no portão,estava só de calcinha,vesti um shorts branco e fui atender,era Ronaldo estava com um pacote na mão.Abri o portão Ronaldo entrou.
Passei por Ronaldo,quando sinto sua mão passando em minha bunda e apertar:
-Delicia de rabo voce tem gostosa.
Pergunto pra Ronaldo:
-Que pacote é esse na sua mão
-Mais tarde voce vai saber delicia.
Ronaldo entra em casa e vai se sentar no sofá e ai me chama:
– Ei gatinha vem aqui mais perto.Eu me aproximo de Ronaldo e ele tira meu short e minha calcinha deixando eu pelada.
Quando eu fiquei nua meu penis estava duro ai Ronaldo pega e começa a chupa-lo.Que tesão que deu em mim,um negão com 22 cm de pika ,me chupando.Não demorou nada e eu gozei e Ronaldo tomou tudo meu leitinho,não deixando nada.
Depois que Ronaldo me chupou e bebeu meu leitinho,ele me abraça e me beija e ainda sinto o gosto do meu esperma em sua boca.Nossas bocas se tocando e Ronaldo passando a mão em meu rabo e apertando.Depois de alguns minutos de beijo,Ronaldo me vira e me põe de 4 no sofá e começa a lamber meu rabinho deixando lubrificado.Eu não aguentando de tesão peço a ele:
-Vai amor me come agora enche meu cu com essa pika gostosa,me chama de putinha ,me faz mulher.Ronaldo ouvindo essas palavras socou aquela rola gostosa em meu rabo e começou o vai e vem:
-Vai soca essa rola em mim,me come vai,aiiiiiii deliiiiciiiiiiia,isso me fode,me faz sua mulherzinha,gostosão.Ronaldo dava tapas em meu bumbum e socava a coisa sem dó:
-Vai gostosão soca tudo que eu gosto,isso mesmo deliiiciiiiia ,ah que booom ,que gostoso que voce é amor.
Ronaldo não estava aguentando mais até que ele gozou enchendo meu cuzinho de porra,como eu não estava preparado me caguei toda no pau dele,saimos dali direto pro banheiro pra tomar banho,depois tive que limpar a sujeira que fiz na sala.No banheiro tomando banho nos beijamos de novo feito um casal de namorados.
Com isso o tesão se aflorou de novo e começamos mais uma foda ali mesmo.Depois do banho Ronaldo mandou eu abrir o pacote,era uma fantasia de empregada.A fantasia era composta de uma calcinha fio dental,um vestidinho de empregada bem curtinho na frente e sem nada na parte de tras,um sutiã e uma sandalia de salto alto.
Coloquei a fantasia e fui fazer janta pra gente,quando eu passava em frente ao Ronaldo,ele passava a mão na minha bunda dando um enorme tesão.Fiz uma janta bem gostosa,jantamos e depois fomos para o sofá assistir televisão.Deitei em seu colo e ele começou a acariciar meu corpo.Me virei de frente pra ele e nos beijamos como um casal apaixonado,o tesão invadiu meu corpo.Comecei a beijar meu negão e fui descendo,descendo até chegar no meu objeto de desejos,aquela pika maravilhosa e iniciei uma bela chupada.Ronaldo se delirava de prazer com a chupada que eu dava,depois de deixar aquela pika bem molhadinha eu sentei em cima dela e cavalguei gostoso naquela maravilha.Eu descia e subia até que Ronaldo anunciou que ia gozar e gozou enchendo meu rabinho de porra.
Depois disso demos um tempo afinal de contas ninguem é de ferro,fomos dormir la pela meia noite e antes de dormir demos mais uma,para aplacar nosso tesão.De madrugada devia ser umas 5 horas mais ou menos,acordo com o Ronaldo me chupando.
Meu pinto estava todo molhadinho da saliva que saia da boca de Ronaldo,ai ele me pede:
-Amor eu quero que voce coma meu cu agora.
Imagine um negão gostoso daquele me pedindo pra ser comido.Nessa hora virei homem e comi o cuzinho de Ronaldo.Foi uma delicia,ele rebolava feito uma puta,ja não era mais virgem,por isso meu pinto entrou com uma facilidade incrivel.
Depois de alguns minutos eu anunciei que ia gozar e ele pediu pra mim encher o cuzinho dele de porra e foi o que fiz.
Ficamos deitados mais um pouco,la pelas 8 horas me levantei e pus a roupa de empregada e fui fazer um café e trouxe o café pro Ronaldo na cama.Depois que ele tomou o café,Ronaldo me agarrou e me comeu de novo,foi uma foda bem rapidinha,mais bem gostosinha.
Passamos o dia inteiro juntos,quando o tesão aparecia a gente transava,fiquei o dia inteiro vestido com a fantasia de empregada.
Foi uma noite de sábado e um dia de domingo muito especial na minha vida,até hoje lembro desse dia,foi um dos melhores dias da minha vida.
Espero que gostem do meu conto.Beijos!!!!!

 

Mariana 1

Como falado no conto anterior, a transa com Mariana foi exepcional, ela mãe de 2 filhos safada, mostrou-se uma verdadeira puta na cama. Depois de todas as transas do dia, ficamos conversando e nos conhecendo melhor, começaos a falar de fantasias e tudo mais, ela contou que além de mim, estava saindo com mais dois caras, um mais sério e outro bem safado que ela adorava e el adizia que a comia muit ogostoso, e eu era o iniciante, ela ficou um tempo ainda saindo com os tres antes de decidirmos namorar…
Mesmo assim em nossas saídas e idas a praia, começei a colocar nela a idéia de começar a se exibir (afinal de contas ela tinha e tem até um corpo muito bonito), um dia elacomçou a usar o biquini enterrado na bunda, para poder ficar com uma marquinha bem bonita e também nas idas a praia usar shorts mais ousados. A marquinhsa ficou muito bonita, mas como o biquini nãoera um fio dental de verdade ficou um pouco grande, decidimos comprar um biquini fio dental para ela, fui junto na loja, e a excitação começoou ali mesmo, cada modelo ela abri aa cortina do provador e me mostrava, e além disso a safada deixava um pequeno vão no provador, assim outras pessoas podiam ver ela se trocando. A partir daí, ela comçou a se exibir na praia, usando o biquini bem enterrado, e sempre se ajeitava, qdo tinha alguém olhando, as vezes ela ia a praia sozinha outras comigo, era uma loucura só e no final sempre uma bela transa. POr fim ela falou que queria experimentar transar com dois caras, decidios chamar umamigo meu, de infância e de total confiança. No dia marcado chegamso eu e meu amigo que ela havia conhecido e aprovado, ela nos recebeu com um shorts minusculo e uma blusinha sem sutiã, uam delicia. Comçamos a conversar, e ela sentou no meu colo e ficou contando que estava queimada de sol, e tudo mais, nesse momento ela abaixou uma parte do shorts para mostrar a marquinha para noss amigo, ai foi a deixa, eeu e ela começamos a nos amassar, nisso dei a sugestão de ele tirar umas fotos nossas, fomos para o quarto, ele sentou num canto e eu começei a beijar e tirar a roupa da Mariana, em dado momento, ela estava toda peladinha e de quatro eu entrei por baixo e começei a chupar sua buceta que neste momento estava encharcada de tanto tesão, qdo olho meu amigo ja estava com o pau na frente dela, e se masturbando, el anao se fez de rogada e pegou seu pau e colocou na boca, a partir dai a loucura foi geral, logo começei a comer ela enquanto ela chuapva o pau do amigo, dai ela pediu para chupar os dois ao mesmo tempo e ficava revesando cada hora um na boca, chegou a colocar os dois ao mesmo tempo. ai comçei a comer seu cuzinho, ela ja estava habituada e socava forte, enqunaot meu amigo ajudava abrindo mais sua bunda, ou entao dando de mamar para ela, ele também comeu a budetinha dela (neste dia ela nao deu o rabinho para ele) ficamos tirando fotos e trepando por um bom tempo, até que eu gozei na bioca dela e meu amigo gozou em cima do peito dela, foi uma loucura. Depois dessa transa, esse meu amigo a comeu várias vezes e de todas as formas (contarei em outros contos) e também alguns amigos dela em que saímos juntos ou mesmo ela saindo sozinha e me contando tudo depois, pois puta ela sempre foi.


Delícia De Cego

Caros leitores tesudos em continhos eróticos,

Vou narrar um episódio rapidinho e você vai levantar o pau rapidinho também e molhar a calcinha…
Conheci um cego na faculdade, um nerd e fino, inteligentíssimo, o que me atraiu bastante. Ele é quente demais. Tem 25 anos e eu tenho 37. Tem as mãos grandes e macias e todo mundo fica em volta dele. Eu senti uma atração enorme por ele desde a primeira vez. Sentei ao lado dele e nos conhecemos. Falamos de tudo. Ele foi embora e disse que ficou excitado desde a primeira vez. Sonhava comigo sempre. Até que eu liguei para ele. Começamos a nos falar sempre. Ele disse que gostava muito de mim e eu disse que queria fazer amor com ele. Ele disse que me desejava. Ficamos rodeando palavras por muito tempo. O papo foi esquentando e ele começou a sussurar por telefone, disse que se tocava pensando em mim. Ele pediu para que eu descrevesse meu corpo. E me achou deliciosa. Ele me liga para dizer que sou gostosa, uma delícia e que vai apalpar cada centímetro de meu corpo. Eu tenho sonhos eróticos com ele. Aconteceu que depois de tantas excitações, ele veio me ver e cumpriu com o prometido. Ele chegou e eu o conduzi até a sala. Não nos aguentamos. Abracei-o e beijei. Ele me agarrou. Acariciou meu corpo, minha cintura e levantou o pau duro. Disse que não aguentava mais ouvir minha voz e ficar daquele jeito. Eu o sentei no sofá e sentei no colo dele que estava tudo levantado. ele me tocou loucamente… me fez vibrar de tesão. Fui casada e nunca senti isso. Com ele é diferente. Sussura em meus ouvidos, diz que vai me dar prazer e vai me fazer gozar intensamente. Eu falei que morria de vontade de beijar o corpo todo e ele pediu para lamber todinho. Eu fui descendo e ele gemia todo. Confessou que eu era a primeira. Imagine a minha tara. Disse que eu podia fazer tudo que quisesse com ele.
Então eu o agarrei por cima do zíper. Hum.. . to molhando tudo aqui. Ele gemia, gemia e me amassava toda, meu bumbum, meus seios redondos…
Eu perguntei se ele deixava eu chupar o pau dele. Ele mal esperou que eu pedisse e tirou para fora dizendo É TODO SEU MINHA DELÍCIA. Ai que tora deliciosa. LAMBI, CHUPEI TODO. Ele urrava de prazer. Nunca chupei com tanta gana. Esfreguei nele todo. Meus seios, minha bunda e ele pediu mais….
Ele disse que era a primeira vez que gozava com uma mulher. Não parecia porque ele fazia loucamente e com muita experiência. Depois dei um banho nele. Aí ele é quem fez em mim. AI, AI, AI………. Abraçou-me pelas costas e me acariciou todinha. Disse que já sonhava com meus seios e eu fiquei louca de tesão com as mãos dele me amassando…
Rebolei a bundinha e ele disse… agora vou te dar o troco. Segurou minhas pernas e desceu a boca na xaninha, lambeu e eu gemi…
Depois ele falou, vai abrir as pernas pra mim? Eu nem esperei. Abri e ele enfiou com loucura. E pediu que eu o conduzisse a cama, mas ele iria me levar no colo, sem tirar a pica de mim…
Fomos para o quarto e ele entrava tão doido no buraquinho que eu não aguentei… molhei toda e gozei… e ele continuou metendo, metendo e tremia e gemia.. e eu nunca senti tanto tesão junto… Ficamos umas três vezes…. Ele liga sempre cedinho para dizer que não me esquece e que todo banho matutino toca uma punhetinha e me chama e quer de novo e quer se casar comigo. Não vou pensar duas vezes. Ele é muito fino, mas sabe falar palavrão e disse que comigo vale tudo. Quer dizer, VOU DAR A BUNDINHA PRA ELE AINDA.

 

A Freira e o Padre

Olá para todos!! Meu nome é Vera e a história que passo a narrar aconteceu quando eu estudava num colégio de freiras. Conheci a Irmã Berenice quando ela foi minha professora de Educação Física. Era uma mulher bonita, 1,70m, uns 57 kg, seios médios, cintura fina, coxas grossas e bunda bem arrebitada. Sei desses detalhes, pois para ministrar suas aulas ela usava uniforme, ou seja, short preto e camiseta branca com o logo do colégio. Todas as alunas adoravam a irmã Berenice, pois era muito carinhosa com as alunas. Três vezes por semana vinha ao colégio um padre, que se chamava Antônio, rezar a missa. Era um moreno alto, boca carnuda e super musculoso. A irmã Berenice se derretia por ele. O tratava super bem e fazia questão de estar de uniforme de educação física quando ele chegava. Um dia, no final da missa a irmã Berenice desapareceu... e o padre Antônio também. Eu estava desconfiada, pois era muita galinhagem e esfregação entre eles. Resolvi procurá-los, então. No fundo do colégio existia um galpão onde eram guardadas ferramentas, gêneros e outros apetrechos. Fui até lá e tive uma grata surpresa. Pela fresta da porta entre aberta pude ver os dois abraçados se beijando. Eram beijos de língua ardentes e sensuais. Padre Antônio esfregava a pica na buceta da irmã Berenice e apertava sua bundona. Num momento em que eles se afastaram pude ver que padre Antônio estava de pau duro, pois sua batina estava estufada mais parecendo uma barraca armada. Irmã Berenice se ajoelhou e ergueu a batina do padre que estava sem nada por baixo. Surgiu então um enorme de um pau. Grande, grosso e cabeçudo. Ela agarrando-o com as duas mãos iniciou uma chupeta fantástica. Ele gemia e segurando sua cabeça forçava um vai e vem frenético. De repente ele deu um gemido alto e gozou na boquinha dela. Era muita porra que escorria pelo canto de sua boca. Em seguida ela levantou ainda com a boca e rosto todos esporrados e os dois se beijaram e ele sorveu toda aquela porra. Em seguida ela baixou o short preto e ergueu a blusa, deixando a mostra seus peitos durinhos e bicudos. Ele mamou nos peitos dela enquanto ela delirava de tesão. Neste depósito haviam alguns sacos de farinha. Ele colocou-a de bruços sobre os sacos e com o caralho em riste a penetrou na buceta de uma só vez. Iniciou um vai e vem furioso dizendo:"Ai...freirinha gostosa....mexe essa bunda tesuda...vai...prova o meu cajado bento...vou te enxer a barriga com meu leite quente...." Ela respondia:"Sim meu padreco lindo...fode tua freirinha com esse pausão lindo...me arregaça toda....faz um filho em mim...vai..." e gozava sucessivamente. De repente, soltando um grito forte ele gozou dentro dela enterrando o caralho super fundo na buceta dela. Como ele ainda continuava de pau duríssimo, a colocou de quatro e encostou a chapeleta no buraquinho trazeiro dela. Ela empurrando a bunda para trás fez com que aquele caralhão se enterrasse em seu cú...todo... Ela falou:" Nossa....que gostosura...fode meu cú com esse teu pauzão...vai...lava ele com a tua porra...me empala seu viado....me rasga toda..." Eles gemiam e ela gozava pelo cú. Em dado momento, ele enterrando o cassete até o talo no cú da freira, gozou urrando de prazer. Ficaram grudados ainda por um tempo. Ele retirando o pau do cú, fez com que toda sua porra escorresse pelas pernas dela. Ele ajoelhado atrás dela, lambeu e sugou tudo. Os dois ainda se beijaram e se recompuzeram. Eu que estava espiando saí dali o mais rápido possível, toda molhada e excitada. Eu esqueci de contar que fotografei toda a transa deles...mas esta é outra história.


A Freira e o Padre II

Há pouco tempo atrás escrevi um conto "A FREIRA E O PADRE" que agora continuo. Meu nome é Vera e contei a vocês que assisti a transa de Padre Antônio e Irmã Berenice, a qual fotografei todinha. Passaram-se umas duas semanas e tive uma prova com irmã Berenice. Minha nota foi zero. Ao receber a prova fui conferir e verifiquei que ela não havia considerado algumas questões que estavam parcialmente corretas, o que me deixou puta da vida. Imprimi duas das fotos que havia tirado (uma ela chupando o pau do padre e a outra o padre a enrrabando), coloquei-as entre as folhas da prova e pedi para que ela revisasse a prova. Na hora ela disse que daria uma olhada mas que não mudaria a nota. Naquela tarde eu estava em casa quando o telefone tocou. Fui atender e era irmã Berenice. Ela me disse que revisando a prova realmente ela havia se enganado e que minha nota era 8,5, e se eu estava satisfeita com a nova nota ou se achava que deveria ser maior. Eu respondi que estava muito feliz com a nova nota. Ela então disse que gostaria de conversar comigo após a missa no dia seguinte lá no depósito do colégio. Eu falei que iria sem problemas. No outro dia, após a missa, de cara vi que a irmã e o padre sumiram. Eu passei no banheiro e tirei meu soutien e minha calcinha, já prevendo o que aconteceria no encontro. Chegando lá olhei pela fresta da porta e irmã Berenice já estava chupando as bolas de padre Antônio. Com uma mão ela erguia o cacetão dele e colocava um ovo após o outro na boca. Entrei e fiquei apreciando a cena. Padre Antônio me viu e disse:"Olá Vera!!! Que bom que viestes...isso é sinal que não te importas com o que vistes, pois se te importasse já nos teria denunciado para a diretora."Ao que respondi:" Realmente não me importo, pois além de já ter 18 anos, não ser mais virgem, me excitou muito ver vocês dois transando". Irmã Berenice, então falou:"Então te aproxima e enquanto eu chupo as bolas dele tu chupas o caralho". Me ajoelhei e iniciei o maior boquete que já havia feito na vida. Que cassete delicioso ele tinha. Não demorou mais que cinco minutos e ele urrando de tesão gozou em nossas caras nos esporrando muito. Eu e irmã Berenice nos beijamos e uma sorveu do rosto da outra a porra que escorria. Padre Antônio me pegou pelo braço e me colocou deitada sobre os sacos de farinha. Levantou minha sainha e começou a chupar minha buceta e me fazer gozar intensamente. Irmã Berenice, acocorou sobre o meu rosto e eu chupei sua buceta. Era muito gostosa e salgadinha. Ela gozou varias vezes. Padre Antonio me colocando de quatro me penetrou a buceta sem dó nem piedade e dizia:"Aiiii....que buceta apetitosa....olha só...ela engole todo o meu caralho...sente tudo dentro da tua barriga sua putinha .....deliiiicccciiiiaaa....." Enquanto isso irmã Berenice chupava minhas tetas que balançavam com o movimento de vai e vem. Eu gozava muito e de repente padre Antonio anucia seu gozo e esporra dentro de mim (ainda bem que eu tomava pilula). Irmã Berenice sacou o pau dele de dentro de mim e chupou minha buceta bebendo todo meu suco e a porra dele que escorria pelas minhas coxas. Como ele ainda estava com seu pau durissimo eu estiquei a mão e segurando o caralho o guiei para meu cuzinho. Padre Antônio disse:"Tu queres levar no cú também sua puta? Então toma gostoooossaaaa...." E de uma só vez enterrou seu caralhão no meu cú. Eu adorei. Senti suas bolas batendo na minha bunda. Irmã Berenice deitou-se por baixo de mim e enquanto eu chupava a buceta dela ela chupava a minha....que loucura. Padre Antônio bombava freneticamente. Eu me sentia totalmente arrombada, pois o pau dele era uma tora de grosso... Eu gozava pelo cú e pela buceta ao mesmo tempo até que ele, novamente, me encheu o cú com seu leite quente. Quando ele sacou fora a varona, chegou a fazer barulho de vácuo e toda a porra saiu pelo meu buracão aberto a qual irmã Berenice bebeu toda. Padre Antônio era insaciavel e pegando a irmã Berenice fez com ela um papai e mamãe super gostoso enquanto eu lambia suas bolas por trás. Ainda nos encontramos mais algumas vezes no depósito e irmã Berenice foi lá em casa me dar aulas particulares quando transamos somente eu e ela, assim como eu fui sozinha ajudar o padre lá na casa paroquial com as matriculas dos cursos de noivos e lá novamente transamos muito., só eu e ele. Hoje, passados mais de 20 anos, casada e com filhos, lembro dessas aventuras com saudades e muito tesão. Há algum tempo atrás, descobri que padre Antônio e Irmã Berenice largaram o hábito e se casaram...e o melhor...moram aqui em Porto Alegre. Minha esperança e localizá-los para quem sabe repetirmos aquelas gostosas experiências.


A Vida de um Casal Parte 1

Estava lendo alguns contos em sites de contos eróticos e resolvi contar o que aconteceu comigo, o que contarei aqui é muito longo. Casei muito cedo eu tinha 20 anos e minha esposa 22 anos logo tivemos uma filha e depois de 3 anos tivemos um menino. No meados dos anos 90 foi tudo onde começou naquela época eu lia muita revista pornográfica principalmente as que continha relatos eróticos, no principio lia todos os contos com o passar do tempo comecei a me interessar mais nos contos de traição principalmente os contados pelas mulheres que diziam trair seus maridos. O tempo foi passando e aquelas historias de traição não saiam da minha cabeça fui sentindo excitação e comecei a fantasiar minha esposa me traindo. Minha mulher era uma pessoa muito resguardada não aceitaria nunca uma condição daquela, ela usava roupas que não deixava aparecer seu corpo, sempre com calcas jeans largas ou bermudas ate o joelho e as blusas sempre larga também. Com o passar do tempo comecei a cobrar ela queria que ela se vestisse mais sex, mas ela não aceitava dizia que não conseguia usar roupas que mostrasse seu corpo chegamos a ter varias brigas por causa disso, mas com o tempo ela foi cedendo e começou a usar roupas mais sex onde deixava aparecer mais o seu corpo, passou a usar uns shortinhos mais curtos umas blusinhas mais decotadas e calcas mais apertada, mas continuava com a sua timidez não aceitava coisas alem do normal em parte de sexo, na cama era o tradicional papai e mamãe dificilmente aceitava sexo oral o anal nem pensar. Minha mulher sempre teve os seios lindos e chamativos e também uma testa que realçava a sua bucetinha o famoso capu de fusca, quando ela coloca um short ou uma calca apertada fica muito chamativo não tem quem não perceba e olha. No começo ela só usava em casa colocava e dizia é assim que você quer que eu fique toda gostosinha só que tem uma coisa vou usar em casa nem pensa eu ter que usar na rua, concordei com ela, pois sabia que assim que ela acostumasse também usaria fora de casa. A idéia de ver a minha mulher me traindo crescia cada vez mais na minha cabeça, mas nem pensava em tocar no assunto com ela porque sabia que ela não aceitaria. Foi passando o tempo e ela começou a se vestir mais sex quando saiamos. Tudo mudou quando num sábado a levei no shopping para fazer compras eu havia comprando um vestido amarelo para ela que era bem decotado e o tamanho ficava a quase um palmo para cima do joelho dela, então eu disse para ela usar porque ela nunca havia usado, no principio ela não quis, mas com a minha insistência ela acabou colocando e fomos para o shopping. Ela ficou muito provocante dentro daquele vestido eu via que todos os homens olhavam para ela eu fiquei excitadíssimo com o que eu via então dei uma desculpa que iria ver alguns pneus de carro enquanto ela ficava na loja comprando roupas para ela e para os meninos, sai e fui a uma lanchonete para tomar um chope enquanto ela ficou sozinha na loja, fomos nos encontrar quase na hora de irmos embora vi que ela estava se sentido toda alegre e vaidosa ela estava diferente, perguntei a ela o que estava acontecendo para ela estar daquele jeito então me disse que nada havia acontecido. Naquela noite senti que me esposa estava excitada na cama ela estava mais solta então resolvi colocar em pratica a minha idéia de falar para ela que tinha a fantasia de vê-la com outro, estávamos fazendo amor então disse a ela o quanto os homens haviam paquerado ela no shopping e que ela havia chamado a atenção deles, ela não me respondeu nada ficou quieta, mas se soltou na cama senti que aquela era à hora e continuei falando para ela que se ela estivesse sozinha no shopping algum homem daria de cima dela, minha esposa ficou super excitada ao ponto de gozar rapidamente um gozo que nunca havia presenciado nela, aquela noite fizemos amor mais uma vez antes de irmos dormir. Foram passados os dias e via que ela estava mais solta se arrumava melhor, cuidava da sua aparência usava roupas mais provocantes ela estava mais vaidosa, comprou mais shorts curtos e blusinhas que colava e marcava seu corpo e com decotes que deixavam parte dos seus seios a mostra. Na cama eu sempre cutucava falando que ela deixava os homens loucos, ela sempre ficava quieta ate que uma noite e que estávamos fazendo amor ela me falou que no dia que tínhamos indo ao shopping os homens haviam paquerado ela e que um homem dos seus 45anos havia convidado ela para tomar um suco no que ela falou que era casada e que eu estava ali e que o homem deu o telefone dele para ela só que ela jogou fora porque não aceitava este tipo de coisa. Disse para ela que isso era normal e que isso ia acontecer mais vezes com ela porque os homens gostam de ver uma mulher bonita e chamativa e que ela tinha todas essas características, fizemos amor como nunca naquela noite eu tinha ficado super excitado com o que ela me disse e senti que ela também havia ficado excitada. Com o passar do tempo ela se soltou mais e me contava que os homens mexiam com ela na rua, disse que uma vez ela ia buscar as crianças na escola e que um homem passou por ela e disse que ela tinha uma grande testa na buceta e que na hora ela havia ficado toda sem graça, mas que tinha ficado com tesão. Estávamos cada vez melhor nós entendendo na cama ela estava mais solta e eu continuava fazendo meus ataques falando coisas cada vez mais excitantes para ela, teve uma noite em que saímos e que ela foi paquerada ao chegarmos em casa senti que ela estava toda alegre, fomos para cama quando começamos a fazer amor comecei a falar para ela imaginar que eu era o homem que havia paquerado ela e que estávamos no motel, minha mulher se soltou na cama na hora ela começou a chupar meu pau quanto mais eu falava para pensar que era outro homem que estava ali com ela mais excitada ela ficava, logo estávamos fazendo um delicioso 69 e ela pela primeira vez gozou em minha boca e deixou eu gozar na boca dela, foi uma noite em que fizemos amor mais duas vezes, quando terminamos ela me disse que era para eu parar de ficar falando aquelas coisas para ela na hora em que estivéssemos na cama porque ela não gostava. O tempo passava e cada vez as coisas iam melhorando em relação ao sexo ela estava bem mais solta eu continuava a falar para ela imaginar que eu era outro homem, ela sempre dizia que era para eu parar com aquilo que nunca na vida ela me trairia, mas eu não parava e continuava sempre a tocar no assunto. Em meados do ano 2000 perdi o emprego a firma que eu trabalhava faliu na época conseguir pegar somente o fundo de garantia e o seguro desemprego, minha esposa em conversa com sua prima conseguiu arrumar um serviço e pediu que a deixasse trabalhar ate que eu arrumasse outro emprego, como vi que as coisas não estava boa deixei ela ir trabalhar o serviço era vender bilhete no centro da cidade onde havia a área azul da prefeitura para estacionar carro ela entrava as 8hs da manha e saia as 17hs. No começo ela sempre ia com o uniforme da empresa quando já havia se passado uns três meses que ela estava trabalhando começou a levar roupa para se trocar após o expediente isso o que ela me falava, então comecei a especular ela dizendo se ela recebia cantadas na rua dos homens e ela sempre dizia que não, mas sempre eu insistia com ela sobre este assunto e num sábado já havíamos tomado algumas cervejas e ela estava meia alegre por causa da bebida e eu toquei no assunto disse a ela que não acreditava que ela não recebia cantada na rua e que ela não queria é me falar, então ela me disse você quer saber mesmo eu recebo cantadas todo dia de vários homens para você ter uma idéia eu sou umas da primeiras a vender mais cartão da área azul eles só querem comprar cartão comigo para me cantar, mas fica tranqüilo eu não dou bola para eles, então falei para ela se nunca tinha recebido uma cantada em que havia mexido com o sentimento dela, ela me disse já que você quer saber vou te dizer teve duas vezes em que eu fiquei com vontade uma foi que um homem mais ou menos de 35 anos me cantou dizendo que eu era muito linda e se eu não queria ir viajar com ele para uma casa de campo que ele tinha disse que me faria muito feliz naquele dia ele chegou a pegar no meu braço para eu entrar no carro dele então disse para ele me largar se não eu ia fazer um escândalo e o outro foi um homem de uns 40 anos que me convidou para almoçar ele era muito cheiroso educado disse que me levaria para almoçar e para me conhecer melhor tudo isso me falou segurando a minha Mao disse a ele que eu era casada e que eu não podia abandonar o serviço, então ele me passou o seu cartão e disse meu nome e telefone esta ai se você quiser me liga agradeci ele e sai, olha eu só não fui almoçar com ele porque eu sou casada se eu fosse solteira eu tinha indo. Naquele dia fiquei excitadíssimo com tudo o que ela tinha me contado e ela percebeu a minha excitação tanto que depois ela passou a me contar todos os dias às cantadas que ela recebia na rua. Quando eu arrumei outro emprego minha esposa logo saiu do serviço para ficar com os meninos em casa nossa vida continuou naquele clima eu sempre pedido para ela imaginar outro na cama e ela sempre me contava às cantadas que levava ia tudo indo bem ela estava mais solta já não reclamava que eu ficava falando para ela imaginar outro homem ela ate já gostava. Meu carro havia dado problema no motor e precisei levá-lo ao mecânico ele me disse que teria que fazer o motor do carro não tive outra saída então deixei ele para arrumar numa quinta-feira meu carro ficou pronto então pedi para o mecânico levar o carro a minha casa, pois não daria tempo de eu sair do serviço e pegar a oficina aberta quando cheguei em casa o mecânico estava me esperando com o meu carro ele me mostrou o que tinha feito no carro me deu a papelada de garantia do motor demos umas volta para eu ver como tinha ficado o carro, então chamei ele para entrar e tomar uma cerveja ele aceitou prontamente quando entramos em casa minha mulher o cumprimentou só que ela estava com um short branco bem curto e uma blusinha que deixava aparecer sua barriga na hora o mecânico ficou doido o tempo em que esteve ali não tirou os olhos da minha mulher só faltou agarrá-la ele entrou para tomar uma cerveja acabamos tomando umas cinco cervejas. Quando ele saiu disse a minha esposa você deixou o mecânico doidinho ele não tirava os olhos de você, ela deu uma risadinha e disse eu ia trocar de roupa, mas quando vi que ele começou a me olhar pensei vou ficar assim mesmo quero o deixar babando e alem do mais meu marido gosta que homens me paquerem, esta vendo como a sua mulher é gostosa. Naquela noite fizemos amor gostoso transamos onde gozei três vezes e ela também. No sábado quando voltamos de um aniversario de um sobrinho fomos para a cama ali disse a ela que estávamos casados há 14 anos e nunca tinha tirado uma foto dela com roupas intimas se ela não deixaria tirar, ela disse que deixaria mais que seria só uma então pedi para que ela colocasse uma roupinha bem sex, ela colocou um conjunto branco com cinta liga, meias 7/8 e uma tanguinha fio dental, tirei uma foto em que ela estava atendendo ao telefone depois pedi para ela me deixar tirar mais algumas no fim tirei umas trinta foto dela a onde ela trocou de roupas umas três vezes, mais uma vez fizemos amor gostoso aquela noite sempre naquele joguinho de eu falar para ela imaginar que eu era outro homem e ela me contar que tinha sido cantada por outro. Foi passando o tempo quando comprei uma casa e mudamos para nova casa, já fazia um mês que estávamos morando na casa nova, um dia estava vendo uma revista de conto erótico e também tinha muito classificados de casais, mulheres e homens a procura de sexo, minha mulher pediu para ver leu alguns relatos e viu alguns classificados e disse nossa será que tudo isso é verdade, respondi que sim que era verdade e disse também se colocasse um anuncio nos classificados com uma foto dela ela receberia muitas cartas... Continua

 Conto Erótico enviado 27/9/2011 11:15:09 por: Renato

Linke´so clicar

 

A chuva melada
A Manicure
A Minha Mulher Cedeu
A Surpresa
A surpresa
Adorei Ser Enrrabada Por Vários
Agora a Três.